Ler com Acessibilidade

Rondônia, 22 de Julho de 2017

\\ NOTÍCIAS

Publicado em 10/11/2016 22:27

JORNALISTAS DEBATEM SOBRE A VALORIZAÇÃO DA CLASSE E OS RISCOS DA PROFISSÃO

Fonte: Assessoria

A imprensa no exercício das suas funções tem o compromisso de levar informações para a sociedade civil relatando ações do governo e sociais em âmbito nacional e internacional.

Mas as atividades destes profissionais em alguns casos não são respeitadas e sofrem com a violência, descriminação e impedimentos da liberdade de expressão em países democráticos como o Brasil e internacionalmente pelas arbitrariedades e regimes de ditaduras que não respeitam à divisão dos poderes, sendo eles o executivo, legislativo, judiciário e os direitos de imprensa.

Representantes da imprensa no município de Ariquemes em Rondônia debateram sobre a valorização da classe e referiram-se especialmente sobre a violência contra os profissionais da imprensa, mediante ameaças, agressões físicas e verbais e em estado mais crítico, os atentados contra a vida dos profissionais.

O jornalista, Alexandre Fernandes comentou sobre este assunto com os colegas jornalistas, Nelson Marialva e Almir Coelho que também relataram situações de violências contra colegas e a si própria quando publicou matérias sobre irregularidades cometidas no período em que exercia o seu direito de imprensa.

Há mais de 40 anos de profissão, o jornalista Nelson Marialva lembrou de fatos que ocorreram e foram presenciados em sua profissão e que precisou se afastar das suas funções por ser vítima de ameaças e que diante deste fatos contra ele e de outros colegas, ainda tem esperança de poder ver a imprensa exercer suas profissões com dignidade e acima de tudo valorizada pelos órgãos públicos municipais, estaduais e federais e que seja estendida de forma globalizada.

Almir Coelho, jornalista e presidente da ARJORE também cobra das autoridades mais empenho em solucionar as denúncias de violência contra os colegas da imprensa e que tenham mais liberdade de exercerem as suas funções democraticamente e com liberdade de imprensa.

Fonte: Atlantis Online